sábado, 19 de março de 2011

0

Cinema Comentado

O Continuísta

No Zoom, a continuista Florence Weyne Robert fala sobre seu trabalho e os erros mais comuns de continuidade. Esse profissional é tão importante num set, que o resultado do filme pode depender de sua atuação.

0

Valorizando a Arte!

Curitiba, a cidade de Poty

Nathalia Cavalcante
Colaboração Cinevídeo 1
Fotto: Lina Faria
Napoleon Potyguera Lazzarotto, conhecido apenas como Poty Lazzarotto, nasceu no dia 29 de março de 1924, aniversário de Curitiba. O cidadão do mundo viveu 74 anos, vindo a falecer no dia do artista plástico, em oito de maio de 1998. Poty começou a desenhar com quatro anos, por iniciativa de seu pai, o italiano Issac Lazzarotto. Aos cinco anos, já havia tomado gosto pelas histórias em quadrinhos. Quando jovem, o artista curitibano trabalhou em um cinema, seu primeiro emprego. Lá carregava latas de filmes, com isso, podia assistí-los gratuitamente. Com 14 anos de idade começou a produzir suas próprias histórias em quadrinhos. Assim, passou a publicar no Diário da Tarde, em seis capítulos, Haroldo – O homem relâmpago. Posteriormente, abriu um concurso de legendas para seus quadrinhos, no qual alunos de escolas públicas e particulares puderam participar.
0

Na poltrona!

Adrenalina high tech

Nathalia Cavalcante

É possível imaginar que haveria a possibilidade de um homem ser obrigado a manter distância de lojas de aparelhos eletrônicos? A probabilidade de econtrar casos como esse aumentaria, se ocorresse nas telonas. E, se esse empecilho é o resultado de descobertas realizadas nas operações tecnológicas do FBI, a situação pode piorar. O mundo digital fez com que o hacker Stanley Jobson, personagem de Hugh Jackman, em A senha – Swordfish, se tornasse refém deste meio. Envolvendo ação e tecnologia, o filme revela que a era ciber pode ser perigosa.
Em um cenário que envolve ambição e anseio de retomar a guarda da filha, Jobson entra em um jogo, em que a vantagem sobre os outros e o dinheiro impediram. Mesmo com a proibição imposta, o hacker não encontra outra alternativa, e aceita conversar com Gabriel Shear, vivido por John Travolta. O pedido foi realizado por intermédio de Ginger, a misteriosa cúmplice de Shear, que Halle Berry interpreta.
0

Jornalisticamente falando

Curso pré-vestibular gratuito é sinônimo de oportunidade
Graças ao trabalho voluntário de professores, jovens de baixa renda podem enfrentar o vestibular

Nathalia Cavalcante

Antes de ingressar em um curso superior, alguns jovens optam por fazer um curso pré-vestibular. Porém, em muitos casos, é necessário desembolsar uma quantia em dinheiro que não podem pagar. Em Curitiba, as mensalidades vão de R$ 130 a R$ 900. Dessa forma, jovens de baixa renda deparam-se com mais um empecilho. Na maioria das vezes deixam de fazer o vestibular por não terem condições de pagar por esses cursos e, além disso, não estarem preparados. Para evitar situações como essas, voluntários criam cursos pré-vestibulares gratuitos, também conhecidos como cursos populares.
Além dos cursos comunitários, algumas universidades criam seus cursos pré-vestibulares gratuitos, através de iniciativas dos próprios professores e alunos. Em Curitiba, a Universidade Federal do Paraná (UFPR) e a Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) possuem cursos pré-vestibulares. Há dez anos foi criado o curso Em Ação, que é mantido por voluntários da ONG Em Ação, com a UFPR. O curso conta com 35 professores voluntários e ex-alunos do curso colaboram como equipe de apoio aos professores. As aulas são realizadas no Centro Politécnico da UFPR, aos sábados e domingos, das 8h às 19h45. No início do ano são ofertadas 200 vagas, em julho 100 vagas são oferecidas.