segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

0

Espaço Porta Curtas

Tudo o que é Sólido Pode Derreter

Gênero Ficção
Diretor Rafael Gomes
Elenco Luciano Chirolli, Mayara Constantino, Sabrina Greve
Ano 2005
Duração 16 min
Cor Colorido
Bitola Vídeo
País Brasil
Local de Produção: SP



Aos 15 anos, Débora compartilha com Hamlet as dores e dúvidas da adolescência.

Prêmios
Menção Honrosa no Festival Luso-brasileiro de Curtas de Sergipe 2005
Melhor Roteiro no Mostra Londrina de Cinema 2005
Melhor direção no FAM - Florianópolis 2006
Melhor Roteiro no Festival Cultura Inglesa 2005

Festivais
Festival de Cinema de Varginha 2006
Festival Latino Americano de Trieste 2005
Gramado Cine Vídeo 2005
Mostra de Cinema de Tiradentes 2006
Mostra do Filme Livre 2006
0

Trajetória brasileira no Oscar


E o Oscar vai para...

“Lula, o filho do Brasil” é o próximo filme que pode representar o Brasil em Los Angeles
Nathalia Cavalcante

O Brasil já é representado no Oscar desde a década de 1950, com “Orfeu Negro”, de Marcel Camus, vencedor na categoria de melhor filme estrangeiro. Porém, como o diretor era francês o prêmio foi para aquele país. O filme foi realizado em co-produção com a França e Itália. O Brasil também já participou com as seguintes indicações: melhor atriz e ator, melhor roteiro adaptado, melhor diretor, melhor direção, melhor fotografia e melhor curta-metragem.
“O Beijo da Mulher-Aranha”, de 1985, de Hector Babenco e “Cidade de Deus”, de 2002, de Fernando Meirelles, concorreram a quatro indicações cada. O primeiro, co-produção com os Estados Unidos disputou em: melhor filme, melhor diretor, melhor roteiro adaptado e melhor ator. A produção de Babenco venceu a categoria de melhor ator com o estadunidense Willian Hurt. “Cidade de Deus” foi indicado a melhor fotografia, melhor direção, melhor montagem e melhor roteiro adaptado.

domingo, 12 de dezembro de 2010

0

Cenas clássicas

O momento em que o professor Humbert, interpretado por James Mason, conhece Lolita, vivida por Sue Lyon. O longa, que intitula a personagem, estreou em 1962. Umas das obras-primas de Stanley Kubrick foi baseada no romance de Vladimir Nabokov.



0

Tá na trilha!


Just Like Honey, de The Jesus And Mary Chain, é uma das músicas que compõem a trilha sonora de “Encontros e desencontros”. O longa, de 2004, segundo de Sofia Coppola, venceu três Globos de Ouro incluindo Melhor Ator, Melhor Filme e Melhor Roteiro. A diretora, que também assina o roteiro, venceu o Oscar na categoria de Melhor Roteiro Original.



0

Na poltrona!

Enigma

Texto: Nathalia Cavalcante
Fotos: Adoro Cinema

O drama sueco de 1972, Gritos e Sussurros (Viskningar Och Rop) de Ingmar Bergman é uma maravilhosa aula de cinema. O longa de 90 minutos venceu o Oscar de Melhor Fotografia e foi indicado em outras quatro: Melhor filme, melhor diretor, melhor roteiro original e melhor figurino. O enredo gira em torno de três irmãs. Elas convivem em uma casa com uma empregada que está sempre próxima a uma delas, enferma, à beira da morte. A mulher debilitada é reconfortada com o carinho da emprega, que deposita nela o carinho que não pôde dar à filha que havia falecido.
Bergman abusa da cor vermelha. Ele mostra as mulheres de branco, em um quarto cujas paredes e tapetes são vermelhos, o que enaltece a tensão das cenas, além de serem momentos belíssimos do filme. Ao longo da trama lembranças e frustrações tomam as mentes das personagens, o que prende a atenção do início ao fim.
0

Cinema Comentado


A era dos estúdios

Texto: Nathalia Cavalcante

O período considerado “Bela época” do cinema brasileiro foi marcado pela dificuldade de implantar estúdios no país, ao passo que a vontade de realizar este feito competia com a precariedade do momento. Isto se deve também aos filmes estadunidenses, pelo fato destes deterem o espaço cinematográfico. Com isso os filmes brasileiros passaram por dificuldades de exibição.
Para que houvesse o crescimento do cinema no Brasil, foi preciso arriscar em produções, consequentemente, desenvolver esta indústria. Assim surgem: Cinédia, Atlântida Cinematográfica e Vera Cruz, respectivamente. Os principais estúdios do período. A Cinédia surgiu no início da década de 30, no Rio de Janeiro, idealizada por Adhemar Gonzaga, cineasta e jornalista, que se dedicou na produção de Chanchadas. Humberto Mauro foi um dos pioneiros do cinema brasileiro, assinou “Pureza”, o primeiro filme da companhia, com grande orçamento e equipamentos importados dos Estados Unidos. Mesmo com tanto investimento, foi um fracasso. A Cinédia produziu 13 longas-metragens de 1925 a 1952 e 11 curtas-metragens de 1945 a 1974.
0

Valorizando a Arte!


Federico Fellini, un innamorato per il cinema

Nathalia Cavalcante

Federico Fellini è nato il 20 febbraio 1920, a Rimini, regione di Emilia-Romagna, in nord di Italia. Fellini è stato um grande regista. Però non piaceva a lui le sceneggiature. Fellini pensava che scrivere una sceneggiatura pregiudicava il direttore, perché quello che puó dire in image, non dovrebbe essere trasformato in parole. Per lui la imaginazione dobrebbe essere trasportada direttamente per il film.
I suoi film erano basati nel improviso. I dialoghi erano costruiti insieme alle scene. Lui ha fatto parte del movimento cinematografico neo-realista. Questo movimento aveva dei caratteristiche: Mostrava la realità, le persone comune, gli attori non professionale, inoltre, critiche alla situazione della società.
Fellini ha fatto venti quattro film. Lui ha conosciuto sua moglie, Giulietta Masina, nel 1942. Lei ha lavorato in alcuni film di Fellini, como attrice. La sua personage più divertente è Cabiria, di “Le notti di Cabiria”, film di 1957. Questo film racconta la storia di Cabiria, una prostituta, però inoscente e sognatora. Questa donna pensa che puó incontrare il principe azzuro, ma, purtroppo soffre di desilusione.

domingo, 24 de outubro de 2010

0

Espaço Porta Curtas

Janela Aberta

Gênero Ficção
Diretor Philippe Barcinski
Elenco Enrique Diaz, Eugênio Puppo
Ano 2002
Duração 10 min
Cor Colorido
Bitola 35mm
Local de Produção: SP
País Brasil

Um homem tenta lembrar se fechou uma janela. A Jornada de um simples fato em uma mente turbulenta.



Prêmios
Melhor Curta no Chicago International Film Festival 2003
Melhor Montagem no Festival de Brasília do Cinema Brasileiro 2002
Melhor Montagem no FAM - Florianópolis Audiovisual Mercosul 2003

Festivais
Edinburgh Intl.Fest. 2003
Festival de Cannes 2002
Festival do Rio 2003
Festival do Rio BR 2003
Festival Internacional de Curtas de Belo Horizonte 2003
Festival Internacional de Curtas de São Paulo 2002
0

Cinema Comentado

O surrealismo de David Lynch

Filmes em que a subjetividade impera. Cenas, digamos, “estranhas” delineiam as tramas desse cineasta, um dos mestres do surreal atual.

0

Cena Clássica

O Fabuloso Destino de Amélie Poulain

O título já diz tudo! A vida da personagem Amélie é uma verdadeira fábula, repleta de situações encantadoras, que surpreendem e emocionam a cada cena.

0

Valorizando a Arte!

Ao som de Waltel Branco
Texto: Nathalia Cavalcante
Colaboração Cinevídeo 1

O maestro, compositor e arranjador Waltel Branco nasceu no dia do músico, em 22 de novembro de 1929, em Paranaguá, Paraná. Por seu pai ser militar, a família Branco teve de se mudar para o Mato Grosso. Waltel ingressou no Seminário de Campo Grande, onde conheceu alguns instrumentos. Em Curitiba, formou uma jazz-band com Gebran Sabbag, no piano. Em 1949, foi para o Rio de Janeiro. Entre suas passagens, destacam-se Cuba, Nova York, Paris e Roma, onde lecionou na Escola de Santa Cecília. Quando esteve no Uruguai, permaneceu na Embaixada Brasileira, cujo embaixador era Vinicius de Moraes. Durante 35 anos compôs trilhas para novelas da Rede Globo, onde exerceu o ofício de maestro arranjador e supervisor. Um dos grandes compositores brasileiros, Djavan, recebeu das mãos de Waltel seu primeiro violão e, com muito orgulho, se apresenta com o instrumento até hoje!
0

Fora da sala!


Profissionais do Grupo RPC avaliam Campanha Voto Consciente

Diego Silva
Nathalia Cavalcante

A campanha Voto Consciente, da Rede Paranaense de Comunicação (RPC) chega ao fim das eleições com os resultados positivos e negativos da iniciativa. Neste ano os paranaenses tomaram conhecimento de fatos que os levaram às ruas, em busca de respostas para os atos ocorridos no cenário político do Estado. Em ano eleitoral, nada mais propício que ter consciência para quem direcionar o voto.
Depois de várias mostras de candidatos e mais candidatos que fazem uso de veículos de comunicação para promover suas respectivas campanhas políticas, os paranaenses se deparam com um grande dilema: Em quem votar, afinal? O esclarecimento do caminho político percorrido pelos aspirantes a representantes da população é essencial para que os eleitores possam, em até dois minutos, participar de uma das decisões mais importantes para o futuro da nação. Escolher o próximo governante não é uma atitude meramente burocrática, vai além disso; é a prova de que o cidadão pode, enfim, mostrar-se presente na política Estatal.
No último domingo, dia 3, os paranaenses foram às urnas para registrarem seus votos. Em todo o Paraná, 84% dos eleitores compareceram às seções eleitorais.
De acordo com a jornalista da Gazeta do Povo, Aniela Almeida, a iniciativa da RPC teve um papel relevante para o esclarecimento dos eleitores, porém a população ainda precisa se posicionar melhor. “O Voto Consciente foi uma importante ferramenta para o eleitor, apesar de acreditar que a Gazeta do Povo tenha cumprindo seu dever com o interesse público, há ainda muito para ser mudado na sociedade”, ressalta.
A jornalista acrescenta que a sociedade ainda não está totalmente conscientizada, já que os eleitores passaram por anos de desinformação. “Desde a redemocratização do país, a escolha de candidatos aconteceu de forma equivocada, pelos motivos errados”, lembra. Apesar disso, depois de presenciar ações lamentáveis dos políticos, a população começou a pensar a respeito dos próximos representantes. “Só agora, os eleitores começaram a perceber que são eles mesmos que sofrerão as consequências por uma escolha ruim. Ainda estamos engatinhando dentro do que chamamos de democracia”, acredita.
Os eleitores estão passando por um processo, em que informações e conscientização andam de mãos dadas. Porém, para Aniela, há muito o que mudar. “Temos muito a amadurecer: Sociedade, políticos e meios de comunicação, além de precisarmos de uma grande reforma política”, reforça.

sábado, 23 de outubro de 2010

0

Ensaio Fotográfico

O que o vermelho pode significar?

“O vermelho pode ativar o sistema de alerta da pessoa e influenciar na forma como ela pensa ou faz algo”.
The New York Times
06/02/2009

Atenção












Proibido
















Atração













Energia












Alegria













0

Tá na trilha!

Cantando na chuva (Singin'in the Rain) de 1952, dirigido por Gene Kelly e Stanley Donen. Na cena Gene Kellly dança e canta ao som da música que intitula o filme. Foto: Adoro Cinema.


0

Na poltrona!

À espanhola
Texto: Nathalia Cavalcante
Fotos: Adoro cinema

Em 2008, mais uma vez Woody Allen apresenta uma surpreendente comédia dramática – Vicky Cristina Barcelona. Dessa vez o cenário é a envolvente paisagem espanhola, lugar onde duas amigas estadunidenses, Scarlett Johansson, como Cristina e Rebecca Hall, como Vick, desembarcam para passarem as férias. Lá, conhecem um artista plástico sedutor, Juan Antonio, vivido por Javier Bardem. Em um restaurante, o artista, cheio de atitude, usufrui de suas habilidades espanholas para fazer uma proposta inusitada às turistas. No desenrolar da história surge a desvairada Maria Elena, ex-esposa de Juan, intepretada por Penélope Cruz, que faz uma reviravolta na vida das personagens. Penélope Cruz ganhou o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante com esta obra-prima de Woody Allen.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

0

Espaço Porta Curtas

Palíndromo

Gênero Ficção
Diretor Philippe Barcinski
Elenco Eucir de Souza, Eugênio Puppo, Silvio Restiffe
Ano 2001
Duração 11 min
Cor P&B
Bitola 35mm
País Brasil
Local de Produção: SP



Prêmios

Prêmio Especial do Júri no Festival de Cinema e Vídeo de Cuiabá 2002
Melhor Diretor no Festival de Gramado 2002
Melhor Filme no Festival de Gramado 2002
Melhor Montagem no Festival de Gramado 2002
Prêmio da Crítica no Festival de Gramado 2002
Melhor Diretor no Festival de Recife 2002
Melhor Som no Festival de Recife 2002
Prêmio ABD e C no Festival do Rio 2002

Festivais

Festival de Berlim 2002
Festival de Havana 2002
0

Cena Clássica

Em 1998, Walter Salles apresenta Central do Brasil. Nesta cena Vinícius de Oliveira pede à Fernanda Montenegro que escreva uma carta para mãe dele. Foto: Adoro Cinema







0

Na poltrona!

É preciso ter Estômago

Texto: Nathalia Cavalcante
Fotos: Adoro Cinema


O drama com pimenta de humor, “Estômago” de Marcos Jorge, foi para as telas em 2007. O filme marcou a estreia do diretor em longa-metragem de ficção. Em 112 minutos relata a história de Raimundo Nonato, nordestino que vai para a cidade em busca de uma vida melhor. O primeiro local por onde essa personagem passa é um bar. Nonato, por fim, depois de comer algumas coxinhas acaba sendo acolhido pelo dono do comércio. Mesmo em condições precárias e sem receber salário pelos serviços prestados como faxineiro, o protagonista passa a trabalhar na cozinha. As coxinhas feitas por ele fazem sucesso e através delas conhece Íria, uma prostituta que o encanta. Depois de aceitar a oferta para trabalhar em um restaurante italiano, a vida de Raimundo Nonato passa por transformações.

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

0

Fora da Sala!

I Bienal do livro de Curitiba

Quem não foi, pode conferir agora o que rolou!
Nesta matéria, você vai ver os leitores que frequentaram a Bienal.
Ficha técnica:
Repórter: Diego Henrique da Silva
Pauta/Repórter cinematográfica: Dilair Queiroz
Editora: Nathalia Cavalcante



A I Bienal do livro de Curitiba aconteceu no Expo Unimed de 27 de agosto a 4 de setembro de 2009. O público pôde prestigiar filmes, oficinas, além disso, conhecer seus escritores preferidos, tais como: Moacyr Scliar, Carlos Heitor Cony, Marília Pêra, Léo Lins, Reinaldo Domingos, José Carlos Martins, Rubens Alves, Domingos Pellegrini, Sérgio Klein, Raimundo Carrero, João Gilberto Noll, Cristóvão Tezza, Miguel Sanches Neto, Ivan Junqueira, Regina Zilberman, Antonio Cícero, Fabrício Carpinejar, Pedro Bandeira, Carlos Herculano Lopes, Clarah Averbuck, Glaucia Brito, Paulo Negri, Geraldo Almeida, Francisco Pimpão, Luis Andrioli, Ruy Castro, Arnaldo Bloch, Camila Iuspa, Antonio Carlos Secchin, Fernando Gomes de Morais, Nelson H. Vieira e Wander Melo Miranda.

A seguir, a matéria apresenta os diferentes espaços da Bienal.

0

Espaço Porta Curtas

Barbosa

Gênero Documentário, Ficção
Diretor Ana Luiza Azevedo, Jorge Furtado
Elenco Antônio Fagundes, Pedro Santos, Victor Castel
Ano 1988
Duração 12 min
Cor Colorido
Bitola 35mm
País Brasil
Local de Produção: RS





Ficha Técnica
Produção Nora Goulart, Gisele Hilt Fotografia Sérgio Amon Roteiro Ana Luiza Azevedo, Jorge Furtado, Giba Assis Brasil Edição Giba Assis Brasil Direção de Arte Fiapo Barth Trilha original Geraldo Flach

Prêmios
Melhor Edição no Festival de Gramado 1988
Melhor Filme de Ficção no Festival Internacional de Havana 1988

Festivais
Sundance Film Festival 1991
0

Na poltrona!

Silêncio no set!

Texto: Nathalia Cavalcante
Fotos: Cine Players


O filme A noite americana (La nuit américaine), de 1973 do cineasta francês François Truffaut é uma verdadeira homenagem ao cinema. O longa-metragem de 115 minutos mostra com fidelidade como é um set de filmagem, os problemas e soluções realizadas pelos profissionais para que a produção siga adiante. A trama se passa durante as gravações de um filme intitulado “A chegada de Pamela”, no qual Truffaut atua como o diretor Ferrand. Além de Truffaut, Jaqueline Bisset atua como Julie, uma atriz americana famosa que interpreta Pamela. A noite americana venceu, em 1974 o Oscar na categoria de melhor filme estrangeiro. Para os cinéfilos de plantão é uma ótima pedida para o fim de semana. Obs.: Usa-se o termo noite americana em cenas, que o dia deve ser transformado em noite artificialmente. (cineplayers)
0

Cenas Clássicas

Verônica apresenta a violência sem velar fatos. A violência que, infelizmente, é uma cena clássica da vida real.

0

Cinema comentado

Os bastidores de "Tudo sobre minha mãe", de Pedro Almodóvar.

0

Tá na Trilha!

“The Sound of Silence” e “April Come She Will”, de Simon & Garfunkel, duas músicas da trilha sonora de “A primeira noite de um homem”, expressam as emoções de Benjamin, personagem de Dustin Hoffman.

0

Valorizando a Arte

Essência curitibana


Paulo Leminski

Texto: Nathalia Cavalcante
Colaboração: Cinevídeo


Filho de pai polonês e mãe negra, o poeta Paulo Leminski nasceu em Curitiba, no dia 24 de agosto de 1944. Desde os sete anos de idade, as poesias começaram a fazer parte de sua vida. A avó guardava os seus poemas, desde os primeiros. Dono de uma escrita singular preferia escrever poemas breves, haicais (poemas de três versos, que valorizam a concisão e a objetividade), trocadilhos ou brincava com ditados populares. Aos 12 anos mudou-se para São Paulo, passando um ano no Monsteiro de São Bento. Lá aprendeu canto gregoriano, seu primeiro contato com a música. Em 1963, conheceu os poeta Haroldo de Campos e Décio Pignatari na Semana Nacional de Poesia de Vanguarda. Neste momento, se integrou ao Concretismo, movimento de rompimento dentro da literatura brasileira. Leminski é retratado e considerado como um dos principais autores da literatura contemporânea brasileira. A poesia o desvencilhou da Faculdade de Letra e Direito e se inseriu na Poesia Marginal, assim chamados os poemas publicados em revistas alternativas. O romance Catatau, de prosa experimental, assim definido pelo poeta, foi publicado em 1975. Em 1995 ganhou um prêmio póstumo, Jabuti de poesia, pelo livro Metamorfóse, uma viagem pelo imaginário grego, (prosa poética/ensaio). Aos 45 anos, Leminski morre em Curitiba e deixa sua escrita na memória de todos que a conheceu.

terça-feira, 20 de julho de 2010

0

Para os meus Amigos

No dia do amigo, uma homenagem a todas as pessoas que preservam as verdadeiras amizades!

Velha História

Gênero Animação
Diretor Cláudia Jouvin
Ano 2004
Duração 6 min
Cor Colorido
Bitola 35mm
País Brasil
Local de Produção: RJ




Prêmios
Melhor Fotografia de Filme Estudantil no ABC - Academia Brasileira de Cinematografia 2004
2º Lugar - Júri Popular no Anima Mundi 2003
Prêmio Porta Curtas no Festival Internacional de Curtas de São Paulo 2004
Melhor Animação no Festival Primeiro Plano 2003
Melhor Animação no Festival Amazonas Filmes 2003
Menção Honrosa no Festival de Curtas de Belo Horizonte 2004

quarta-feira, 14 de julho de 2010

0

Dia Mundial do Rock

Rock e consciência

Desde o dia 13 de julho de 1985, esta data passou ser conhecida como o Dia Mundial do Rock. Neste dia, o compositor, humanista e vocalista da banda Boomtown Rats, Bob Geldof, organizou juntamante com Midge Uri, o Live Aid, um show simultâneo em Londres, na Inglaterra, e Filadélfia, nos Estados Unidos. O evento teve como objetivo principal, o fim da fome na Etiópia. Foi transmitido ao vivo pela BBC para diversos países.
Em 2005, Bob Geldof organizou o Live 8. A nova edição contou com estrutura maior e shows em mais países, com o objetivo de pressionar os líderes do G8 para perdoar a dívida externa dos países mais pobres e erradicar a miséria do mundo.

Fonte: Whiplash!

No Brasil, Os Mutantes é uma das bandas que representa esse fenômeno chamado Rock’n’roll.

Os Mutantes
Gênero Ficção
Diretor Antonio Carlos da Fontoura
Ano 1970
Duração 7 min
Bitola 35mm
País Brasil
Local de Produção RJ

Uma brincadeira mutante improvisada por Arnaldo Dias, Sérgio Batista e Rita Lee, Os Mutantes, num dia único pelas ruas de São Paulo.


Ficha Técnica
Produção Canto Claro
Fotografia Renato Neuman
Câmera Renato Neuman
Montagem Renato Neuman
Co-direção Antonio Calmon

quarta-feira, 7 de julho de 2010

0

Exagerado

Para Cazuza o tempo não parou. As músicas do poeta continuam nos emocionando, e fazendo com que possamos pensar a respeito do que acontece a nossa volta.

Viva Cazuza!


Um Trem Para as Estrelas
Cazuza e Gilberto Gil

São 7 horas da manhã
Vejo Cristo da janela
O sol já apagou sua luz
E o povo lá embaixo espera
Nas filas dos pontos de ônibus
Procurando aonde ir
São todos seus cicerones
Correm pra não desistir
Dos seus salários de fome
É a esperança que eles têm
Neste filme como extras
Todos querem se dar bem
Num trem pras estrelas
Depois dos navios negreiros
Outras correntezas
Estranho o teu Cristo, Rio
Que olha tão longe, além
Com os braços sempre abertos

Que olha tão longe, além
Com os braços sempre abertos
Mas sem protejer ninguém
Eu vou forrar as paredes
Do meu quarto de miséria
Com manchetes de jornal
Pra ver que não é nada sério
Eu vou dar o meu desprezo
Pra você que me ensinou
Que a tristeza é uma maneira
Da gente se salvar depois
Num trem pras estrelas
Depois dos navios negreiros
Outras correntezas

terça-feira, 6 de julho de 2010

0

Cenas Clássicas

João Grilo (Matheus Natchergaele) e Chicó (Selton Mello) escapam da morte em O Auto da Compadecida, de 2000, do diretor Guel Arraes.

segunda-feira, 5 de julho de 2010

0

Tá na Trilha!

A trilha sonora eletrônica de Corra, Lola, Corra foi realizada por Reinhold Heil, Johnny Klimek, Tom Tykwer e pela atriz que dá vida a Lola, Franka Potente. O filme alemão de 1998 apresenta três finais para a frénetica corrida de Lola, em busca de uma solução para salvar seu namorado.

1 comentários

Cinema Comentado

Cinemas Antigos de Curitiba

Texto: Nathalia Cavalcante
Colaboração Cinevídeo 1

Os cinemas antigos de Curitiba já foram palco de estreias de filmes e prestígio. Hoje fazem parte do passado. Curitiba possuía 20 cinemas de rua: Cine Vitória, Cine Ópera e Cine Avenida, entre outros. Estes locais serviam apenas para apreciar os filmes, as produções cinematográficas eram as estrelas. No passado foram protagonistas das tardes e noites de muitas pessoas. Atualmente, infelizmente, atuam como coadjuvantes, pois o seu lugar de destaque e seu espaço que já foi único pertencem, em sua grande maioria, aos Shoppings Centers. Os cinemas de rua já tiveram seus dias de glória, com as campanhas de marketing, traziam os artistas para o lançamento dos filmes na cidade.
O glamour do período ficou na memória de Curitiba. Várias salas de cinema tiveram de deixar de existir como o cine Ritz, que pertencia à Fundação Cultural de Curitiba (FCC), localizado à na rua XV de novembro, fechado pelo valor do aluguel da sala; o Cine Plaza, na Praça Osório e o Condor, na Rua Cruz Machado não sobreviveram à falta de incentivo e não suportaram a concorrência.
0

Valorizando a Arte!


Precursores das artes no Paraná – Música


Nathalia Cavalcante
Colaboração Cinevídeo 1


A música paranaense também tem sua história. Desde o século XIX, alguns compositores começaram a mostrar seus talentos e passaram a fazer parte da memória musical paranaense. Dentre eles: Bento de Menezes, Brasílio Itiberê, Augusto Stresser, Benedito Nicolau do Santos, Bento Mossurunga e Alceu Bocchino. O maestro e compositor Bento de Menezes apresentava ao vivo, trechos musicais das peças encenadas. Em 1857, funda a Banda Força Pública, atual Banda da Polícia Militar. O parnanguara Brasílio Itiberê nasceu no dia primeiro de agosto de 1846. Itiberê foi diplomata em Berlim, escolhido por Dom Pedro II. A música o revelou como compositor. Entre suas obras, “A Sertaneja” merece destaque. Augusto Stresser nasceu em Curitiba, em 1871. Destacou-se na fotografia, poesia e escultura. Stresser também foi contador fiscal do Paraná. Em 1905, fez parte da exposição de Alfredo Andersen. O artista participou do Grêmio Musical Carlos Gomes e de inúmeros concertos relacionados às causas sociais.
0

Na poltrona!

Luz, câmera... regravando?
Texto: Nathalia Cavalcante
Fotos: cineplayers (O homem de palha)
adorocinema (O sacrifício)

O filme britânico O homem de palha (The Wicker Man), de 1973, de Robin Hardy relata a saga de um policial a procura de uma garota numa ilha escocesa. A investigação partiu de uma carta anônima, o que deixa o enredo intrigante. O policial, por ser cristão fervoroso, abomina o paganismo daquele local. Lá, rituais incomuns são realizados, uma tormenta para ele. A trilha sonora do longa-metragem de 84 minutos acompanha o desenrolar da trama, sendo mais um elemento para compreendê-la. O roteiro de Anthony Shaffer é envolto a um mistério, que instiga a ser desvendado. Em 2006, Neil LaBute dirigiu o remake intitulado, no Brasil, O sacrífício, com Nicolas Cage no papel do policial. LaBute baseou-se no roteiro de Shaffer, não sendo totalmente fiel ao enredo de 1973. Isso rendeu cinco indicações ao Framboesa de Ouro (Razzie Awards), uma paródia do Oscar. As categorias foram de pior filme, pior ator (Nicolas Cage), pior dupla (Nicolas Cage e seu casaco de urso), pior roteiro e pior remake.
0

Fora da Sala!


La tradición no convencionales

La cultura de los pueblos andinos presentan cosas inusuales, como La Fiesta del Tinku

Nathalia Cavalcante
Fotos: nytimes.com

Las regiones andinas tienen varias curiosidades. Las tradiciones mantenidas en esta localidade merecen mucha atención como, por exemplo, La Fiesta Del Tinku, em Macha, Bolívia. En esta fiesta es posible hacer la misma cosa que se hace en cualquer otra comemoración, peró con una diferencia: las personas pelean en un cierto momento de la fiesta.
Hoy, Macha es conocida como “La Capital del Tinku”, porqué todos los años, en mayo acontece esta fiesta. Lo interesante es que esta tradición andina es muy antigua. Durante más de 600 años se mantiene esta tradición. Los científicos habían descobierto la presencia de crânios com fracturas, que fueran encontrados em otros paises, como en la costa peruana y nel desierto de Atacama, Chile. Desde entonces, “La Capital del Tinku”, rescata la tradición. De acuerdo con esta cultura, la sangre que las personas derraman, es un ofrecimento para la madre tierra, para garantizar que los dioses ayuden con la próxima cosecha. En otra versión, es una ironia a colonización española. Por eso, elles pelean para mostrar que son fuertes y que resistiran a colonizacíon.

quinta-feira, 1 de julho de 2010

0

Espaço Porta Curtas

Capital Circulante

Gênero - Ficção, Conteúdo Adulto
Diretor - Ricardo Mehedff
Elenco - Leona Cavalli, Marcos Caruso, Ricardo Blat
Ano - 2004
Duração - 10 min
Cor - Colorido
Bitola - 35mm
País - Brasil
Local de Produção - RJ




Prêmios
Melhor direção no Brazilian Film Festival of Miami 2005
Melhor Música no Festival de Gramado 2004
Melhor Fotografia no FAM - Florianópolis Audiovisual Mercosul 2005
Melhor Música no FAM - Florianópolis Audiovisual Mercosul 2005
Melhor direção no Festival Amazonas Filmes 2004

Festivais
Festival de Cinema de Belém 2005
Festival Internacional de Curtas de Belo Horizonte 2005
Festival Internacional de Curtas de São Paulo 2004
Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro - Curta Cinema 2004
Festival Luso-brasileiro de Curtas de Sergipe 2005
Goiânia Mostra Curtas 2004
International Film Festival of Uruguay 2004
Mostra de Cinema de Tiradentes 2004
Mostra do Filme Livre 2004
Toronto Latin Film Video Festival 2005
Worldwide Short Film Festival 2005
Brasil Noar 2005Brasil Plural 2005
Festival de Biarritz Cinemas et Cultures d'Amerique 2005
Festival Internacional de Guadalajara 2005
Fenart - Festival Nacional de Artes da Paraíba 2004

terça-feira, 29 de junho de 2010

1 comentários

Cenas Clássicas

A primeira cena de "Estômago", de Marcos Jorge.


0

Ensaio Fotográfico

Visita à terra da Luz


Texto e fotos: Nathalia Cavalcante

Conhecer as terras do Ceará é uma experiência inesquecível. O estado, um dos mais ensolarados do país, também é conhecido por “Terra da Luz”. A beleza cearense não se restringe às belas praias, como a de Cumbuco, que fica a 41 Km da capital, mas tambéms é famosa pelas dunas, onde é possível passear de buggy. A jangada é outra opção para quem gosta de se aventurar no mar. Depois da praia, a visita ao Mercado Central de Fortaleza, o maior do Brasil. Lá toda a cultura cearense está à mostra. Próximo ao Mercado está a Catedral Metropolitana de Fortaleza. A arquitetura de estilo gótico-romano chama a atenção. O projeto foi do arquiteto francês George Mounier.Para relaxar, nada como conhecer as cidades do sertão central como Quixeramobim, uma das mais antigas cidades do Ceará, e Senador Pompeu com sua Barragem do Rio Patu, que cobre uma área de 1.007 km³. A riqueza da beleza natural e cultura nordestina se verificam em todos os lugares. A Teda Luz mantém suas tradições intactas.
0

Cinema Comentado




Cinema Novo
Texto: Nathalia Cavalcante
Fotos: Adoro Cinema

Na década de 50 nasce o movimento influenciado pelo Neo-realismo italiano e pela Nouvelle Vague. Surge através de um grupo de jovens que estavam frustrados com a falência das grandes companhias cinematográficas. Assim resolveram defender um cinema com mais conteúdo e menor custo. A ideia seria “Uma câmera na mão e uma ideia na cabeça”. Os filmes seriam voltados à realidade brasileira e com uma linguagem adequada à situação social do período. O Cinema Novo buscava a recuperação da história brasileira. Dentre os principais nomes do cinema desse movimento, merecem destaque: Cacá Diegues; Nelson Pereira dos Santos, com “Rio, 40 graus” e Glauber Rocha (fotos), com dois de seus filmes: “Terra em Transe” e “Deus e o Diabo na Terra do Sol”. Arnaldo Jabor também fez parte do movimento. O documentário “A opinião pública”, retrata o que a população, em pleno regime militar, espera para o futuro. Por se tratar de um movimento ”revolucionário” para a época e o momento político vigente no Brasil, o Cinema Novo sofreu repressão e censura, levando seus principais idealizadores ao exílio.